9 de julho de 2012

Segunda-feira pode(ria) ser um dia feio (Parte 2)

Poderia, mas não está a sê-lo.
De manhã as reações nos mercados de ações foram nulas, à exceção do IBEX que caia mais de 2% mas que acabou por recuperar algum terreno.

Os mercados de dívida é que não se deixaram enganar tão facilmente (até porque em dimensão são muito maiores) e continuam a pressionar nos juros da Espanha, com as obrigações a 10 anos acima dos 7%.

Só podemos registar esta aparente apatia com a tática de "esperar para ver", ou seja, como a malta já sabe que fica tudo à espera das press releases das cimeiras europeias, mesmo que o que de lá vem não passe de delírios otimistas, hoje não foi diferente. E eis senão quando, ainda antes do meio dia, cortesia ZeroHedge:

O que a UE quer fazer:
  • EU SAYS NO SOVEREIGN GUARANTEE NEEDED FOR DIRECT ESM BANK FUNDS
E como querem fazê-lo:
  • Details of how the future system will work remain to be negotiated: Commission spokesman Simon O’Connor

Aparentemente ainda ninguém sabe como fazê-lo, já que os detalhes, esses, nem vê-los. Finlândia, Holanda e Alemanha (achamos nós) opõem-se ao uso do ESM para recapitalizar bancos sem colateral do Estado. 
E assim o circo continua.

Errámos na previsão da segunda-feira feia, muito provavelmente por causa da press release que, mais uma vez, foi providencial.


Serve de consolo termos acertado de que antes da uma da tarde teríamos a tal press release a inundar-nos com tretas e aldrabices.

Tiago Mestre

2 comentários:

Vivendi disse...

Tiago,

Os mercados nem sempre são emocionais. Eles tem um fundo racional e com as eleições americanas a porta eles vão ter de andar mais calmos. Outra, se abusam de mais provocam crash mundial e isso ninguém quer...

José disse...

Ontem, o mercado forneceu uma taxa negativa para o empréstimo francês. Passou despercebido?

http://www.lefigaro.fr/conjoncture/2012/07/09/20002-20120709ARTFIG00474-la-france-emprunte-a-un-taux-negatif-une-premiere.php