3 de julho de 2012

Barclays, RBS e Li(e)bor (Parte 2)

Segundo uma notícia do Zerohedge, afinal os meninos Barclays eram inspirados pelo Banco de Inglaterra (o BCE lá do sítio) na manipulação das taxas de juro da Libor.

Já não nos espanta!

Então vejamos:
Se são os próprios bancos centrais a manipular as suas taxas de juro para que se mantenham artificialmente baixas e com isso promoverem a economia, porque não "sugerir" o mesmo à malta que gere a Libor e a Euribor?

Quer dizer, como se pode pedir aos governadores dos bancos centrais que regulem e fiscalizem potenciais fraudes nos bancos privados quando eles o fazem à descarada em sua própria casa? O conflito de interesses é GIGANTESCO e impossível de sanar.
É como pedir a um bêbado que guarde e zele uma adega.

Este é só mais um exemplo das consequências nefastas de se pedir às instituições públicas que manipulem o preço do dinheiro em função da sua "agenda política", e pelo meio se exija aos privados que não o façam sob pena de serem multados.

Quem pede mais regulação, mais legislação e mais fiscalização, obliterando os princípios básicos da formação dos preços, esquece-se de um pequeno pormenor: 
Não há seres humanos, nem com capacidade intelectual nem com integridade suficientes para gerir dossier tão complexo e tão espinhoso.

A vontade dos legisladores em legislar mais sobre o assunto esbarra tão só na incapacidade de intelecto e na fraqueza moral de todo e qualquer ser humano. Não é má vontade, é simplesmente uma incapacidade inata em nós.

São os milhões de decisões individuais ocorridas diariamente que estão na origem da formação dos preços. Tudo o resto é comunismo disfarçado de Capitalismo de Estado.

Atrevemo-nos a dizer que nem Jesus Cristo teria faculdades suficientes para um problema desta dimensão.

Com 3 demissões no Barclays em 24 horas, parece que a chibanço está só a começar. Tragam as pipocas.

Tiago Mestre

3 comentários:

amor vagabundo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vivendi disse...

E ainda vemos hoje o "cherne" a pedir mais regulação. O melhor mesmo é acabar com os bancos centrais, as reservas fracionárias e associar a moeda ao padrão-ouro.

Sérgio disse...

Deixo um link para uma entrevista sobre este escândalo onde o apelidam de "Lie-More" bem esclarecedores estes senhores, 9 minutos de verdades nuas e cruas.

http://maxkeiser.com/2012/07/04/the-mob-learned-wall-street-eliot-spitzer-cartel-style-corruption-behind-libor-scam/